Coleção de Estudo Questão Feminina

R$50,00

Coleção de estudo Questão Feminina com quatro obras importantes para se debruçar sobre a  opressão sexual que pesa sobre as mulheres e o caminho para a emancipação feminina elucidado pelo marxismo.

Fora de estoque

Livro I

Biografias (Editora Seara Vermelha)

Biografia de quatro importantes dirigentes comunistas, suas duras batalhas travadas pela libertação do proletariado internacional e de seus países juntamente com a emancipação das mulheres do povo: a polonesa Rosa Luxemburgo, a alemã Clara Zetkin e as russas Nadezdha Krupskaya e Alexandra Kollontai.

Sumário

Rosa Luxemburgo (1871-1919)

Clara Zetkin (1857-1933)

Nadezdha K Krupskaya (1869-1939)

Alexandra M. Kolontai (1872-1952)

Livro II

Textos Marxistas-leninistas-maoistas sobre a questão da mulher (Editora Seara Vermelha)

“O conteúdo deste primeiro caderno apresenta a base científica para o estudo de uma das questões fundamentais para a revolução em nosso país: despertar a fúria revolucionária da mulher e desenvolver uma linha de massas para incorporá-la como força poderosa na revolução

A literatura marxista sobre a questão da mulher é bastante vasta e, portanto, esta primeira seleção é ainda incompleta. Mas os textos aqui incluídos certamente permitirão ampliar o debate sobre a importância da politização, organização e da luta das mulheres do povo. Assim como garantirão o bom combate ao oportunismo e ao revisionismo representados pelo feminismo burguês e sua tese burguesa de libertação da mulher.” – Editora Seara Vermelha

Sumário

  1. Introdução
  2. A guerra imperialista e as mulheres –  V. I Lenin -1916
  3. O poder soviético e a situação da mulher – V. I Lenin – 1919
  4. As tarefas do movimento operário feminino na República Soviética – Discurso proferido por Lenin na IV Conferência de operárias sem partido da cidade de Moscou, em 23 de setembro de 1919
  5. Igualdade completa para mulheres – V. I Lenin – 1920
  6. Prólogo do livro “A emancipação da mulher” – N Krupskaya – 1933
  7. A família e o Estado Socialista – Alexandra Kolontai
    1. A família e o trabalho assalariado da mulher
    2. Os trabalhos domésticos deixam de ser necessários
    3. A educação dos filhos cabe ao Estado
  8. Lenin e a questão sexual – Do caderno de Notas de Clara Zetkin – 1920
    1. As grandes questões políticas devem ser o centro da educação das mulheres operárias pelos comunistas
    2. Identidade do movimento feminino com o movimento da juventude
    3. A organização das mulheres comunistas
    4. A agitação e propaganda dos comunistas entre as mulheres
    5. A situação das mulheres na Rússia logo após a revolução
  9. A mulher e o socialismo – August Bebel – 1879
  10. Os comunistas e a família – Marx e Engels – 1848
  11. O Capitalismo e a família – Marx
    1. O Capital, livro I – Cap XIII
  12. Dois lares de desempregados – Karl Marx
    1. O Capital, livro I, Cap. XXIII
  13. As rendeiras – F. Engels
  14. As mães arrancadas de seus filhos – F. Engels
  15. A dissolução da família – F. Engels
  16. A origem da família, da propriedade e do Estado – F. Engels – 1884
    1. A família sindiásmica
    2. A família monogâmica
    3. Barbárie e Civilização
  17. As mulheres – Mao Tsetung
  18. A mulher na guerra popular – O marxismo e a Emancipação da Mulher – Presidente Gonzalo – 1986
    1. As relações da propriedade e da mulher
    2. O problema da emancipação
    3. A politização da mulher
    4. Buscam opor-se ao desenvolvimento do movimento feminino
  19. Resolução do Primeiro Congresso do Partido Comunista do Peru
  20. A via de industrialização chinesa e a libertação – Claudie Broyelle
    1. Aumentar a produção e aprofundar os conhecimentos
    2. Um exemplo de resistência feminina que triunfa
  21. Bibliografia

 

Livro III

Chiang Ching – As ambições revolucionárias de uma líder comunista(Editora Seara Vermelha)

Chiang Ching, grande dirigente comunista do proletariado internacional e impulsionadora da Grande Revolução Cultural Proletária na China  foi camarada de armas do Presidente Mao Tsetung e sustentou, em meio ao fogo da luta de classes e contra escolados revisionistas, a posição da esquerda maoista. Foi presa após a morte do Presidente Mao e, não aceitando renegar sua posição pelo maoismo, fez sua própria defesa em julgamento. Ao fim, declarou: “Cumpri o que me propus fazer! Fazer a Revolução não é crime!”, reafirmando sua condição de maoista, e deixou um exemplo a ser seguido pelos comunistas, da velha e da nova geração, de firmeza e busca intrépida pelo Comunismo.

 

Sumário

  1. Introdução
  2. Uma rebelde contra a tradição
  3. Ienan: discípula e camaradas de armas de Mao
  4. Reforma agrária e investigação social
  5. Aprendendo a ir contra a corrente
  6. Atacando a velha superestrutura… e seus guardiões.
  7. Revolução na Ópera de Pequim.
  8. Líder da Revolução Cultural.
  9. Tomando o Poder.
  10. Voltas e reviravoltas da revolução
  11. “É fácil fazer a revolução contra os outros e difícil fazê-la contra si mesmo”
  12. Rompendo com velhas ideias
  13. Novos episódios de luta
  14. A última grande batalha
  15. A morte de Mao e o golpe de Estado capitalista
  16. O julgamento mais infame do século XX: “estou contente de pagas as contas do Presidente Mao”
  17. Esposa e camarada de Mao durante 38
  18. Assassinada até que se prove o contrário
  19. Atrever-se a ser como Chiang Ching

Livro IV

A mulher e a revolução (Editora Seara Vermelha)

“Neste livro fizemos uma coletânea de textos sobre a questão da mulher e a luta de classes em alguns processos revolucionários. Mai Thi, do Vietnã; Samora Machel, de Moçambique. Kim Il Sung, da Coreia; e Parvati, do Nepal trazem importantes contribuições para o estudo desse problema chave para a Revolução.” – Editora Seara Vermelha

Sumário

  1. A mulher vietnamita ontem e hoje (Mai Thi Tu)
    1. A mulher na sociedade feudal
      1. A “gota de chuva”
      2. Lindas tradições
    2. A escrava do escravo
    3. Sob a bandeira da classe operŕia
      1. Uma mulher nova
      2. A emancipação da mulher e a herança do passado
      3. Uma luta ideológica perseverante e medidas eficazes
  2. A libertação da mulher é uma necessidade da revolução, garantia da sua continuidade, condição do seu triunfo (Samora Machel – Presidente da FRELIMO e presidente da República Popular de Moçambique – 1973)
    1. A revolução e a emancipação da mulher
      1. O contexto histórico da Conferência
      2. A necessidade da emancipação
      3. O momento de desencadear a batalha
    2. Os fundamentos da alienação da mulher
      1. O sistema de exploração como ponto de partida
      2. Os mecanismos ideológicos e culturais da dominação
      3. A definição do antagonismo
    3. A questão estratégica e tática
      1. As linhas de forças da nossa ação
      2. A organização da mulher
      3. As estruturas da organização da mulher moçambicana
  3. A questão da liderança das mulheres na guerra popular do Nepal (Parvati -The worker)
    1.  Introdução
    2. A questão da liderança das mulheres no PCN (Maoista)
    3. A questão da liderança e as mulheres
    4. As mulheres chegaram mais tarde na arena política
    5. O modo de produção atual não é favorável
    6. A luta da mulher é mais complexa do que a luta dos homens
    7. Manifestação de valores patriarcais no Partido Comunista
    8. Falta de esforço subjetivo por parte dos quadros femininos
    9. A falta de vontade dos homens em abrir mão de seus privilégios especiais
    10. Linha política e a questão da liderança das mulheres
    11. A propriedade privada e a questão da liderança das mulheres
    12. Algumas experiências de lideranças de mulheres no Nepal
    13. Conclusão
  4. A inteireza revolucionária das combatentes

Informação adicional